QuiosqueAnteriorSeguinte

Cultura Artes & Letras

A Ordem dos Advogados e a cultura

A Comissão para as Letras e as Artes da Ordem dos Advogados convidou o Presidente da Direcção da Advocal/Fadvocal a escrever sobre este projecto cultural

O caso da Advocal/Fadvocal

De entre as várias atribuições cometidas à nossa Ordem, destacamos, por relevantes para o caso, as de ”zelar pela função social, dignidade e prestígio da profissão” e de “reforçar a solidariedade entre os Advogados”.

Ao Advogado, por sua vez, exige-se que tenha “um comportamento público e profissional adequado à dignidade e responsabilidade da função”.

Significa isto que a um Advogado se exige bem mais do que ser um bom profissional; exige-se que seja um cidadão exemplar. Ora, um cidadão exemplar não prescinde, nem pode prescindir, do acesso à cultura, nas suas mais variadas formas e manifestações.

Vamos falar aqui da música e de como o projecto, hoje uma realidade, da constituição, no âmbito do Conselho Distrital (Regional) de Coimbra, em 2003, de uma associação vocacionada especialmente para o canto coral, a Advocal – Associação Artística do Distrito Judicial de Coimbra, com alargamento, pouco depois, para uma secção de fados e canções de Coimbra, o Fadvocal, cumpre as atribuições e exigências acima referidas.

A Advocal constituiu-se internamente num espaço de convívio e camaradagem, com ensaios semanais no Conselho Regional, propiciando, para além do canto, a confraternização, discussão das questões sociais e profissionais, trocas de saberes e experiências e entreajuda. É palco privilegiado de integração de Advogados Estagiários na profissão e ligação com profissionais mais velhos e também, não menos importante, veículo de contacto com a estrutura real, espaços e funcionamento da Ordem, de que com tanta frequência os Advogados andam arredados.

Externamente, a Advocal/Fadvocal leva, através dos seus concertos e intervenções, o nome da Ordem e esta realidade cultural aos restantes Advogados, a outras profissões judiciárias e ao público em geral, com assinalável prestígio, passe a imodéstia, a avaliar pelas reacções.

Se preferimos actuar para os Colegas, que preferimos, o que vem sucedendo regularmente a convite das diferentes estruturas da Ordem, não podemos deixar de referir as intervenções, na prática como “representantes” da Ordem dos Advogados, a solicitação de outras entidades judiciárias, como, para citar as mais recentes, as duas intervenções este ano no Palácio da Justiça de Coimbra e no Salão Nobre, no âmbito das comemorações dos 100 anos do TRC.

Envolvendo a Advocal/Fadvocal, ao longo do tempo, a participação de tantos Advogados e Advogados Estagiários em interacção com a comunidade, procura corresponder com a sua actividade, aqui incluindo as criações artísticas originais do seu maestro de sempre, o Prof. Augusto Mesquita, com os seus arranjos de peças especificamente para o coro e batuta competente e artisticamente superior e do Fadvocal, presentemente em estúdio, em gravações do seu terceiro CD de originais, aos apoios e estímulos e promoção, nunca negados, da sua Ordem, especialmente das pessoas e órgãos Bastonário, Conselho Geral, CR Coimbra e CR Lisboa, mas também de todas as outras estruturas.

O mérito é de todos e por todos continuamos.

Texto Amaro Jorge, Advogado e Presidente da Direcção


Composição actual

Sopranos: Alexandra Gaspar, Ana Moreira, Ana Vaz, Bárbara Rolim, Catarina Providência, Cátia Cabrita, Celeste Castela, Margarida Santos, Maria de Fátima Ferreira, Maria de Lurdes Carvalho, Maria José Catarino, Maria José Fernandes, Miriam Jorge, Salomé Simões, Sofia Pinho, Teresa Mesquita.
Contraltos: Ana Sofia Jacinto, Aurora Oliveira, Cláudia Martins, Elisabeth Branco, Fernanda Gapo, Paula Cristina Mendes Reis Silva, Paula Sendas, Túlia Santana.
Tenores: Amaro Jorge, Carlos Silva, João Carlos Paz Valente, João Miguel Moreira, Jorge Barroco Duarte.
Baixos: António Simões, Artur Cordeiro, Carlos Martins Lopes, Gustavo Gapo, José Castanheira, José Gapo, José Granja Bento, José Rolim.

Associação e Grupo Vocal

A Advocal – Associação Artística do Distrito Judicial de Coimbra é uma associação cultural, sem fins lucrativos, constituída a 7 de Maio de 2003, e outorgada por 37 sócios fundadores, Advogados inscritos no Conselho Distrital de Coimbra da Ordem dos Advogado, tendo os primeiros ensaios ocorrido em Outubro de 2002.

Integra o Grupo Coral Advocal, sobre o qual versa a nossa rubrica, e o Grupo de Fados Fadvocal, cujo repertório é constituído exclusivamente por guitarradas, fados e canções de Coimbra.

O Grupo Coral Misto é composto por Advogados e Advogados Estagiários inscritos no Conselho Distrital de Coimbra da Ordem dos Advogados, com cerca de 20 elementos masculinos e 20 femininos, sob a orientação do maestro Prof. Augusto Mesquita.

A sua apresentação pública teve lugar no dia 21 de Maio de 2003, no auditório da sede do Conselho Distrital de Coimbra da Ordem dos Advogados, integrada nas Comemorações da II Semana do Advogado. Desde então tem vindo a actuar em diversos locais do país, com a participação de orquestras e outros coros.